Arquivo | junho, 2008

Atores e produtores de TV ganham estrela na calçada da fama

21 jun

Felicity Huffman , Chuck Lorre, William Petersen

 Mark Burnett, John Stamos, Kyra Sedgwick

Foi anunciado nesta última quinta-feira (19), os nomes das celebridades que teram sua estrela cravada na conhecida calçada da fama, em Hollywood.

Além dos habituias atores de cimena – que ganharam também, como Cameron Diaz – quatro atores e dois produtores de séries também foram contemplados.

São eles: Mark Burnett (produtor de Survivor e The Apprentice), Felicity Huffman (atriz de Desperate Housewives), Chuck Lorre (produtor das séries Two and a Half Men e The Big Bang Theory), William Petersen (ator de CSI), Kyra Sedgwick (atriz de The Closer) e John Stamos (ator de ER).

Anúncios

As 10 séries que PAREI de assistir

21 jun

Smallville

Assisti fielmente as aventuras do superboy até a 3ª temporada, mas enjoei. Agora mesmo com a tal liga da justiça que não consigo mais ver.

 

24 Horas

Como não tinha Fox, assistia pela Globo. Vi até a 2ª ou 3ª temporada, mas não agüentei mais ver o Jack Bauer salvando os EUA de terroristas só em 24 horas.

 

Heroes

Na verdade não sei bem porquê parei de assistir. Mas depois do primeiro episódio da 2ª temporada não deu mais vontade de ver.

 

Medium

Não parei de assistir porque não gosto. Na verdade é uma das minhas séries preferida, principalmente por causa da atriz Patricia Arquette, a adoro. Mas, porque, não tenho mais tempo pra ver Tv e já baixo outras séries que, também, deixam o meu tempo mais curto.

 

Ghost Whisperer

Comecei a assistir essa série junto com Medium, porque as duas estrearam na mesma época na Sony. Porém esta, não agüentei mais ver a cara de songa-monga da Jennifer Love Hewitt.

 

Monk

Já basta a minha mania de lavar a mão sempre encosto em alguma coisa e ficar vendo alguém mais maníaco do que eu isso só me deixa mais doida!

 

The OC

Assisti por algum tempo pra ver se era aquilo tudo que todos diziam, mas achei muito chato.

 

The Office

Por incrível que pareça, não gostei dessa série. Aquele formato de documentário, como se diz aqui: me dava nos nervos.

 

ER

Já comentei aqui que a última vez que a assisti se chamava Plantão Médico, tinha George Cloney como dr. Ross e passava na Globo. Sei lá, mesmo tendo a Warner, cansei de assistir.

 

 CSI: Miami

Na verdade esta série é legal, bacana, tem uma fotografia bem feita, porém NÃO SUPORTO DAVID CARUSO como Horatio. O Caruso é o pior ator que já vi. Até de vez em quando vejo a série, mas apareceu ele troco de canal na hora. Já encheu o saco ver ele atuando há 5ª temporadas da mesma forma: tira os óculos escuros, diz uma frase de efeito e, pra finalizar, coloca os óculos novamente.

Atores a um passo de entrarem em greve

18 jun

Parece que os fãs de séries sofreram mais uma vez por conseqüência de uma greve. Não entendi direito o problema, mas parece que o contrato do Sindicato dos Atores com os estúdios está para acabar agora no final do mês. E as negociações não estão indo muito bem.

Já sabia de antimão que várias séries estão gravando os primeiros episódios da próxima temporada. Tudo para não correrem o risco de dar setembro, outubro (época de retorno e estréias), não ter nada.

Penso que mais uma greve só vai atrapalhar. E, com certeza, todos os lados – estúdios, atores e, principalmente, fãs – sairão prejudicado.

A série mais popular do planeta em 2007

18 jun

A CBS divulgou os números. Agora é oficial, CSI é a série mais popular de televisão do planeta em 2007. De acordo com o estúdio, o drama protagonizado por Grissom foi assistido por aproximadamente 84 milhões de telespectadores.

Ela ultrapassou CSI Miami e House. Os dados são do instituto Eurodata, que afere a audiência das séries em todo o mundo.

Desperate Housewives ficou com o posto de série cômica mais vista, contabilizando 61 milhões e 500 mil telespectadores.

O reality American Idol, que é o show de maior projeção nos Estados Unidos, não aparece na lista porque a maioria dos países leva ao ar sua versão regional.

CSI conta o dia-a-dia de um grupo de investigadores especiais de Las Vegas que usa a ciência e alta tecnologia para solucionar crimes. O show estreou em 2000 e já está na nona temporada, além de originar as derivadas: CSI Miami e CSI New York.

 Fonte: Estrelando

Capitão interroga – Barraco e Hilária

16 jun

A charge já é velha, do dia 31 de maio, mas só agora que assisti. Começou falando da presidencia dos EUA e parou em Lost.

Ets ou estão todos mortos? Acho que nenhum dos dois.

Entrevista com roteirista de CSI

14 jun

Vou postar novamente esta entrevista. O WordPress tá me tirando do sério.

Faço parte de um fórum dedicado ao shipper Grissom and Sara Romance (GSR), personagens de CSI. Organizamos várias perguntas e enviamos a um dos roteiristas dessa série. Ele se chama David Rambo e é muito querido entre os fãs. David mantém um e-mail onde podemos nos comunicar com ele. Sempre atencioso e prestativo, nossas perguntas foram respondidas. Em alguma delas podemos visualizar um pouco como que é feito um episódio de uma série como CSI. A entrevista em questão pode ser lida logo a seguir.

“O homem com todas as respostas” – Numa entrevista curta para o Fórum GSR brasileiro, David Rambo fala um pouco sobre quem ele é, sobre seu trabalho e sobre seus projetos futuros.

BGSRB – Quem é David Rambo? Defina-se.

DR – Eu sou um escritor de peças e roteirista. Meu lema é “Leia, viaje, pergunte, escute.” Eu me considero um homem incrivelmente sortudo, feliz em casa e realizado por um trabalho desafiador.

BGSRB – Fazer o que você ama na vida é essencial, quando você descobriu que ser escritor seria seu modo de viver?

DR – Sim, uma vez que eu comecei a escrever, eu senti que eu estava finalmente fazendo o que eu sempre quis. Antes de escrever, eu fui ator, músico, cantor, assistente de escritório e vendedor. Todas essas experiências influenciam como eu escrevo hoje.

BGSRB – Você escreveu a peça “The Lady With All Answers”, como foi essa experiência, foi a primeira no teatro ou você tem outros projetos por vir.

DR – Eu sou autor de diversas peças. De fato, eu vim para CSI porque William Petersen queria adicionar um escritor de teatro para o time de roteiristas.

BGSRB – Quanto tempo um roteirista precisa para desenvolver um script para um episódio?

DR – Nós normalmente discutimos a história por uma semana aproximadamente, às vezes por duas. Então o roteirista tem uma semana para estruturar o script. Aí segue-se mais uma semana para reescrever antes que o episódio seja filmado.

BGSRB – O que te inspira na criação de um script?

DR – Qualquer coisa pode servir de inspiração para um episódio de CSI. Algumas vezes nós tiramos a idéia de crimes que lemos sobre, ou vimos pela TV. Na maior parte do tempo, entretanto, um de nós diz, “E se…?” e todos nós contribuímos com idéias.

BGSRB – Como foi escrever para um show como CSI? Como foi seu começo nesse projeto?

DR – Meu primeiro episódio de CSI foi “Butterflied”. Eu nunca havia escrito para TV antes. Os produtores me convidaram algumas semanas antes para participar da criação de “Jackpot”, para que eu entendesse como escrever para TV um pouco melhor. Foi árduo re-escrever “Butterflied”, mas eu adorei tremendamente. Mais importante, eu aprendi tanto com Anthony Zuiker e Carol Mendelsohn enquanto trabalhávamos. Eu estive no set para cada dia de filmagem. Os atores e diretor foram extremamente colaboradores e me pediam para fornecer muitas informações. Foi uma grande experiência que me levou a ser contratado para o time de roteiristas na temporada seguinte.

BGSRB – Como são definidos os temas dos episódios? Vocês fazem algum tipo de pesquisa sobre o assunto? Como funciona?

DR – Os roteiristas conversam muito sobre o tema. Nós temos dois conselheiros técnicos e dois pesquisadores disponíveis para nós. Os conselheiros técnicos foram CSIs na vida real, então eles ajudam a manter o nosso trabalho autêntico.

BGSRB – “Butterflied” é um dos episódios favoritos para os fãs de CSI, especialmente para os fãs GSR, o que te inspirou para escrever esse episódio?

DR – “Butterflied” começou como um episódio de dois personagens: só Grissom e Catherine e a garota morta. Enquanto continuávamos a estruturar a história, evoluiu para a complexa e psicologicamente investigativa história que todos conhecemos. Foi um grande esforço de time; idéias que acabaram em cena vieram de muitas fontes, incluindo outros roteiristas e também, Billy e Jorja.

BGSRB – Como é seu relacionamento com os fãs, como você lida com a admiração deles?

DR – Os fãs descobriram CSI e fizeram dele um hit quando todos os experts da indústria disseram que o show não iria durar. Eu sou tão grato a eles. Enquanto é impossível responder todos os e-mails e cartas que eu recebo, eu tento fazer com que os fãs saibam que eu aprecio o apoio deles ao show. As garotas do Brasil são fantásticas! Elas até lembraram do meu aniversário!

BGSRB – Nós sabemos que às vezes, a exposição na mídia e a pressão do trabalho são cansativas, no seu tempo livre, como você relaxa?

DR – Eu amo viajar. Eu leio muito; eu gosto de cozinhar e ir a teatros e concertos. Exercícios e Yoga também ajudam.

BGSRB – Se você pudesse escolher alguém para trabalhar ou criar um personagem, quem seria e por que?

DR – Não tenho certeza se entendi a pergunta, mas se você está perguntando para que atores eu gostaria de criar personagens, são muitos a mencionar. Eu amo atores e o que eles trazem para o script. Eu sou afortunado por ter trabalhado com alguns atores lendários como Kirk Douglas, Ângela Lansbury, Anjelica Huston, Sir Ben Kingsley, Stockard Channing e outros. CSI me deu a oportunidade de trabalhar com o maravilhoso elenco regular e também Liev Schreiber, Faye Dunaway e muitos outros que eu admirava há muito tempo.

BGSRB – Quem ou o quê serve de inspiração quando você escreve?

DR – Isso pode soar bizarro. Mas eu encontro inspiração na quietude. É impossível, para mim, escrever bem no meio de barulho.

BGSRB – Se você pudesse definir esse momento da sua vida em uma sentença, qual seria?

DR – Este é o melhor momento.

BGSRB – David, muito obrigada pela sua atenção e por essa maravilhosa entrevista. Muitos fãs ficarão felizes em saber um pouco mais sobre você. Agora, um último pedido, você poderia mandar uma mensagem especial para os fãs do Fórum GSR brasileiro?

DR – Eu sempre quis visitar o Brasil, e espero fazê-lo em algum momento dos próximos anos. Obrigado ao fórum GSR por extenderem tão calorosas boas-vindas adiantadas pela minha visita! ALÉM DISSO… não percam a premiere da nona temporada. Sara Sidle está lá e Grissom está feliz em vê-la.

Ser fã é ser criativo [2]

14 jun

Algumas semanas atrás postei um vídeo de um garoto tocando a música tema de House. Agora volto com  dois vídeos feito por fãs dessa mesma série. Brincaram com a abertura e o resultado é um dos mais criativos que já vi. 

Homer, MD

Bob Esponja, MD