Archive | março, 2009

Ser fã é ser criativo [3]

27 mar

Ser fã é ser criativo [1] e Ser fã é ser criativo [2]

Gosto muito de vídeos feitos por fãs de séries, a maioria deles são bem criativos. Veja três.

É um fanvideo da série NCIS que utiliza a música Men in Black cantada por Will Smith para o filme Homens de Preto. O que chama atenção é a edição  bem feita e, assim, fazendo as cenas combinarem com a letra e o ritmo da música.

Em 3d, a autora do vídeo criou uma cena ou sequência para a série Monk. Nela estão, Monk  e sua assistente Natalie. Ele teima com a estampa da camiseta dela e pede para trocar. Várias trocas são feitas até ela não aguentar mais. Não contarei o resto para não ser estraga prazer. Está em inglês, mas mesmo se você não souber dá para entender. Assistam até o final que com certeza vão dar boas risadas.

O terceiro e último vídeo é sobre House. Não tem o que falar sobre ele, somente assistam que um sorrisinho nos lábios irá surgir. A música é Trouble da Pink.

UC Men’s Octet

26 mar

A cada ano oitos garotos que estudam na Universidade da Califórnia, em Berkeley, são escolhidos para fazer parte desse, digamos, coral, que de maneira humorada, cantam músicas que marcaram épocas ou as atuais. Usam terno e gravata e, não sei se é requisito, mas todos tem cara de nerd, porém cantam extremamente bem.

Descobri eles essa semana e o que mais me agradou são os de 2003 e 2008. Vou por aqui alguns vídeos. Assistam esses e depois no Youtube vejam os outros.

UC Men’s Octet (2008) – Because You

UC Men’s Octet (2003) – Bohemian Rhapsody

Isso tudo me lembra o que um brasileiro fez usando só a edição.

É preciso saber viver – 11 vozes e palmas

House – 5ª temporada

20 mar

Ao contrário de muitos que estão achando essa quinta temporada de House fraquinha, eu acredito que ela continua sendo a mais interessante, criativa, dramática e humorada das séries atuais.

Talvez o que está causando estranheza é que nessa temporada o foco não está tanto no dr. House e sim nos outros membros da equipe: Kutner, Taub, Thirteen (muito mais nela do que nos homens) e um pouquinho em Foreman. Também outro fator é que praticamente Cameron e Chase viram figurantes. Pouquíssimos episódios mostram eles e quando os mostram é somente em uma cena. Às vezes eles tem sorte e aparecem em mais de uma.

Porém ela continua mantendo o seu formato. Casos interessantes, paciente com doenças esquisitas e, acima de tudo, House continua o mesmo de sempre: sarcástico!

O próximo episódio que será transmitido semana que vem lá nos EUA, tem tudo para se tornar mais um excelente episódio.  Só para dar um gostinho veja a promo aqui embaixo.

Juanes, vale a pena ouvi-lo

15 mar

juanes

Juanes… Quem? Você nunca ouviu falar desse cantor? Então está perdendo um dos melhores da America Latina.

Ele é um colombiano que nos países hispânicos é literalmente  o cara. Infelizmente aqui no Brasil não damos valor para cantores e bandas dos países vizinhos. E estamos cometendo um pecado, porque há muita coisa boa bem perto da gente.

O Juanes é um deles. Ele é muito, mas muito bom. Conheci suas músicas há alguns anos quando estava assistindo o Grammy Latino e ele foi o dono da festa. Ganhou prêmios e tocou ao vivo. Depois daquele dia comecei a acompanhar e saber mais sobre ele.

O seu estilo, defino como um pop rock, mas o ritmo é muito bom para dançar a dois.

Baixei essa semana o último CD, chamado La Vida és un Ratico. Perfeito do início ao fim. A música que dá título ao CD é a mais bonita.  Tem uma mensagem linda. Quem puder ouça.

Veja o clipe da música Gotas de Agua Dulce, que está nesse CD.

Você que é míope, nunca dirija sem óculos

15 mar

Primeiro de tudo: depois de meses sem postar nada no blog, ó eu aqui de novo!

 

 

Ontem fui ao casamento de minha prima. Estava toda produzida. Maquiada, cabelo arrumado e um vestido lindo e, como sou míope, não combinava os óculos com a roupa, então fui sem eles. Alguém pode pensar, usa lente de contato, mas eu não tenho.

 

Quem dirigiu até a igreja e depois até o local da festa foi o meu irmão. As horas passaram e este meu irmão chega até a mesa onde eu estava junto com a minha irmã e meu cunhado e pergunta se ela não estava indo, porque queria ir junto com eles. Minha irmã concordou e ele me deu a chave do carro para que eu levasse a minha mãe que preferiu ficar um pouco mais.

 

Nessa hora pensei, putzs… será que vou enxergar? Minutos depois minha mãe decidiu ir embora e levar a minha vó até a casa dela que fica próxima a nossa.

 

Entrei no carro, tirei o salto alto, liguei e fui embora. A minha sorte foi que o local da festa do casamento é perto de onde moro, então eu já conheço aquele caminho e todos os seus buracos de cor. Mas do mesmo jeito dirigi com cautela. Encostei o peito no volante, forcei a visão e fui indo. Meus olhos lagrimejavam, minha cabeça doía porque estava forçando muito.

 

Quando estava na avenida que dá a acesso a minha casa, nela tem um canteiro que só agora compreendi porque é o local em que todo mundo bate. Você vem vindo numa reta e do nada há esse canteiro e a curva, mas para quem está sem óculos e bêbado (o que não foi o meu caso), há uma gigantesca chance de bater. Sabia muito bem que aquele canteiro estava lá, por isso não bati. Mas o canteiro é tão mal sinalizado que é muito ruim para enxergá-lo.

 

Depois de deixar a minha avó na casa dela,  fui para minha. Quando entrei em casa à primeira coisa que fiz foi procurar os óculos e pô-los.

 

Nunca mais eu dirijo sem eles e também não corro o risco de levar uma multa.